Header Ads

NEWS

Mundo Estranho

Em 2045 os seres humanos não serão a espécie dominate

 Galera essa noticia saiu no site  businessinsider em uma entrevista com o físico Lous Del Monte. veja as palavras do físico.



"Hoje em dia não há legislação dizendo o quanto de inteligência maquinas podem ter e o quão interconectadas podem estar. Se isso continuar nessa escala exponencial. Se continuar assim veremos que no futuro a maior de todas as espécies não serão mais humanos e sim maquinas." 



De  Lous Del Monte é  físico, escritor, empreendedor e autor do livro Inteligência Artificial e Revolução. Em uma entrevista o físico fala sobre a Singularidade, uma fato discutido entre cientistas onde em um indeterminado ponto do futuro maquinas irão se tornar mais inteligentes a ponto não só de se tornarem mais inteligente que um ser humano mas também mais que toda a inteligência humana em conjunto. 

Ele explica:   "No começo deste mundo da singularidade, um cenário é de que as maquinas procurariam humanos para transforma-los em ciborgues. Isto está quase acontecendo, agora estamos substituindo membros perdidos por partes artificiais." 



"Maquinas farão avanços na tecnologia medica, muitos dos seres humanos terão um lazer que nunca tiveram melhor. O problema que estou levantando é que as maquinas podem nos ver como seres inpredicaveis e podem acabar nos vendo como uma espécie perigosa." 

"Eles podem nos ver da mesma maneira que vemos insetos perigosos. Humanos são uma espécie instável. Criam guerras para destruir o mundo diversas vezes e podem fazer vírus de computadores." 

Por causa isso Del Monte acredita que as maquinas se tornarão independentes e começarão a se proteger. Mas ele pessoalmente ele não acredita na possibilidade de um cenário exterminador do Futuro 4 onde haverá uma guerra das feias com a possibilidade da extinção dos seres humanos.

                                               Então leitores qual a sua opinião???
                              Será que teremos a maquinas dominado o mundo?


Nenhum comentário